terça-feira, 30 de março de 2010

100 Anos de Coração!

Dias atrás, enquanto matutava para escrever um texto em homenagem ao Centenário de Nascimento de Chico Xavier, apenas com o propósito de juntar a minha às centenas de homenagens que lhe estão sendo prestada pela Efeméride, uma linda e jovem senhora, de cabelos prateados, aproximou-se de mim e perguntou com a voz de um anjo que, por instantes, me fez sentir saudades da voz inesquecível de minha mãe:
— O senhor é o Dr. Inácio Ferreira?
— Se caso não fosse, minha irmã, apenas com o propósito de lhe ser útil, eu haveria de nele me transfigurar agora.
Ela sorriu e retrucou
— Sim, então, é o senhor mesmo.
— Em que posso servi-la? – indaguei, envolvido pela sua aura de extrema simpatia.
— Escrevi um bilhetinho... Eu soube que o senhor escreve para a Terra!
— Garatujas, minha irmã, simples garatujas!
— Se eu lhe pedisse um favor...
— Imediatamente! Um obscuro vassalo não recusa o pedido de uma rainha de luz! – respondi com um gesto de sincera reverência.
— Trata-se de uma dívida de gratidão que desejo saldar. Se o senhor puder...
— Se puder e se não puder também... Ordene e obedecerei!
— Por favor, acrescente às suas estas minhas pobres palavras – disse, entregando-me, com as mãos muito pequenas, delicado pedaço de papel iluminado.
— Qual é o seu nome? – perguntei, observando que ela, quase que esvoaçante, se retirava.
— Aninha! Mas, talvez, eu seja mais lembrada por Cora, Cora Coralina!
Com o coração aos saltos, quando quis detê-la, a sua imagem se desfez em orvalho dourado.
Desenrolando o diminuto pergaminho resplandecente, li com lágrimas nos olhos:

“Mais que um Médium, um Apóstolo!
Ninguém como ele vivenciou a Eterna Mensagem do Amor e da Sabedoria, que o Evangelho do Cristo sintetiza.
Exemplo e ponto de referência para todos os homens e mulheres que buscam pela Verdade, além dos limites de qualquer religião e de toda ciência.
Seiva viva da fé na Imortalidade.
Renúncia, disciplina e bondade, são palavras que, espontaneamente, se lhe fizeram sinônimos do próprio nome – Chico!
Um Chico de luz!
Luz de brilho inalterável, refletindo o Foco donde emana toda a claridade da Vida!
Chico – pronúncia suave e terna que, nele, ao mesmo tempo, passou a significar:
- bênção de pai!
- abraço de irmão!
- colo de mãe!...
Tomando emprestadas as palavras de um amigo, quero também repetir que ele é, sim, o nosso jesuscristinho!
— Ave, Chico Xavier!
Deus te abençoe, benfeitor de muitas vidas!...”

INÁCIO FERREIRA



Uberaba – MG, 30 de março de 2010.
Escrito por Dr. Inácio Ferreira às 08h19

3 comentários:

Norma Villares disse...

Grande verdade!
Não custa nada sonhar com esses idealista que viveram apenas para colocar o amor em movimento.
Muito bom, esta homenagem ao Chico Xavier.
Dia 02.04 estréia o filme, vamos todos juntos lotar os cinemas.
Grande e afetuoso abraço

Valerie disse...

Amigas,

A Páscoa simboliza união, momento de parar para refletir, de ver a vida de um modo diferente, de dizer sim ao amor,de investir na fraternidade, de vivenciar a solidariedade e lutar por um mundo melhor.
Desejo nesse dia e a cada novo dia, que possamos renascer também em nossos corações.

Um abraço com laços de afeto.
Valerie.

*Teresa Cristina* disse...

Lindo!!!!
Chico amor em ação!
Que a Alegria da Pascoa invada seu Coração
e o daqueles a quem ama irradiando luz para iluminar
e fazer brilhar o mundo em que vivemos enchendo-o
de Amor...Saúde...Paz!!!

FELIZ PASCOA!!!

bjss♥